androgel

Tudo sobre o remédio Androgel

O Androgel é recomendado na terapêutica de reposição de testosterona no hipogonadismo masculino, no momento em que a malformação de testosterona for confirmada por qualidades clínicas e exames bioquímicos.

 

COMO O ANDROGEL FUNCIONA?

O Androgel funciona repondo os graus de testosterona. A testosterona é um hormônio fabricado naturalmente pelo corpo, encarregado pelo progresso dos órgãos parte e pela preservação das qualidades sexuais (estimulando o desenvolvimento de pêlos, engrossamento da voz e progresso do apetite sexual). É encarregado similarmente pelo resultado maior parte sobre a assimilação protéico e pelo progresso da febra magro e venda da gordura do corpo.

 

EM QUAL MOMENTO NÃO DEVO UTILIZAR O ANDROGEL?

Androgel não precisa ser empregado nos casos de suspeita e/ou se já foi constatado câncer de próstata e/ou câncer da glândula mamária do homem. Similarmente não precisa ser empregado nos casos de conhecida idiossincrasia aos componentes da conceito. Esse remédio é contraindicado para utilização por grávidas e lactantes. Esse remédio não precisa ser empregado por mulheres grávidas sem indicação médica ou do cirurgião-dentista. Esse remédio é contraindicado para utilização por mulheres.

 

NO QUAL, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO ESTOCAR O ANDROGEL?

Mantenha em temperatura local (15 ºC e 30 ºC), privado da luz e umidade. Algarismo do quinhão e datas de construção e utilidade: vide embalagem. Não use remédio com o tempo de utilidade submisso. Guarde-o na sua embalagem exemplar. Androgel apresenta-se em maneira de gel insosso cristalino ou ligeiramente opalescente com fragrância peculiaridade de bebida alcoólica. Antes de utilizar, observe a fachada do remédio. Caso ele esteja no tempo de utilidade e você observe qualquer oscilação na fachada, consulte o boticário para saber se será capaz de utilizá-lo. Todo remédio precisa ser mantido fora do alcance das crianças.

 

COMO DEVO UTILIZAR O ANDROGEL?

Utilização rudimentos. Adultos e idosos. A dose recomendada é de 5 g de gel (isto é, 50 mg de testosterona) dado uma vez por dia, praticamente no mesmo horário, de preferência na parte da manhã. A dose diária precisa ser ajustada caso o caso, pelo médico, dependendo da resposta clínica e laboratorial de cada paciente, não podendo ser superior a 10 g de gel por dia. O ajuste da dosologia precisa ser realizado em estádios de 2,5 g de gel. O gel precisa ser mandado pelo próprio paciente, em pele podadura, seca e sadio sobre os ombros, ou o dois o membro ou no pandulho. Depois de abrir o invólucro, o conteúdo completo precisa ser tirado e dado de imediato na pele. O gel precisa ser apenas despendido sobre a pele devagar, como uma mão fina. Não é preciso esfregá-lo na pele. Deixe secar por no mínimo 3 a 5 minutos antes de se alindar. Lavar a mãos com água e escovadela depois das aplicações. Não adaptar na região genital, uma vez que o alto gênero de bebida alcoólica pode provocar nervosismo local. A testosterona atinge seu estado de imobilidade plasmático praticamente no de acordo com dia de tratamento com Androgel. O fim de ajustar a dose, as concentrações plasmáticas de testosterona precisam ser atitudes no tempo da manhã, antes da aplicação, através do medianeiro dia depois do início do tratamento, ao longo o tempo indicado de uma semana. A dose pode ser reduzida se a concentração de testosterona no sangue estiver grande e acima do nível esperado. Se as concentrações são baixas, a dose pode ser aumentada, não podendo ser superior a 10 g de gel por dia.

 

QUAIS OS MALES QUE O ANDROGEL PODE PROVOCAR?

Reações bastante comuns (ocorrem em mais de 10% das pacientes que utilizam esse remédio): comportamento na local da aplicação, eritema, borbulha, pele seca, em ofício especialmente da bebida alcoólica reprimido no produto.
Reações comuns: modificações em exames laboratoriais como crescimento dos glóbulos vermelhos no sangue (hemáceas) e diminuição dos graus do colesterol HDL (colesterol bom), dor de cabeça, doenças da próstata, desenvolvimento das mamas, dor nas mamas, tonturas, parestesia (percepção de formigamento/ardência sem aguilhão), amnésia, hiperestesia (idiossincrasia perceptual), transtornos do humor, pressão alta, andaço, alopecia (queda de cabelo), calvície, borbulha e urticária. O desenvolvimento das mamas, que pode ser persistente, é um descobrimento corriqueiro em pacientes tratados por hipogonadismo.
Reações raras: neoplasias hepáticas associadas as doses excessivas de testosterona. Além dos citados acima, mais efeitos indesejáveis conhecidos inclui sido relatados na bibliografia depois do tratamento oral ou injetável de testosterona, como pautado a seguir: Recebido de peso, modificações de eletrólitos com doses elevadas e/ou tratamento diuturno, cãibras, stress, estresse, guerra, asfixia do sono, seborréia, modificações do apetite sexual, crescimento da frequência das ereções, diminuição da espermatogênese e dimensão do ovo reversível. Altas doses ou meneio prolongada de testosterona de vez enquando aumentam a ocorrência de retenção de água e inchaço; são capazes de acontecer reações de idiossincrasia. Em casos raros, ereções dolorosas persistentes (priapismo), câncer de próstata (sem dados conclusivos), fechamento urinária.